CERIMÔNIA 60º ANIVERSÀRIO DA REVOLUÇÀO

Discurso do Sr. Embaixador

Sua Excelência, Senhor Victor Manuel Borges, Ministro das Pescas, Representante do Governo de Moçambique,
Excelências, Senhoras e Senhores Embaixadores e Altos Comissários,
Senhoras e Senhores membros do corpo diplomático,
Distintos convidados,
A Argélia celebra o sexagésimo aniversário do início da revolução que levou à independência em cinco de Julho de mil novecentos e sessenta e dois. Esta celebração acontece num contexto regional e internacional marcado pela turbulência geopolítica e ameaças à segurança e à estabilidade de muitos países da região e do continente.
Desde a sua independência, a Argélia não cessou de promover uma política de boa vizinhança e de integração económica, quer no Magrebe quer em todo o continente Africano, contribuindo para o desenvolvimento e estabilidade em África.
A este propósito, a Argélia alberga conversações inter-malianas para permitir que todos os protagonistas da crise no Mali a discutam com vista a encontrar soluções para acabar com a mesma, no interesse de todas as partes.
As discussões inter-malianas são, de outro modo, encorajadas pela comunidade internacional, liderada pela ONU e pela união africana, que dispõem, aliás, dos seus próprios representantes que trabalham em sinergia com a Argélia.
Ao assegurar a mediação nestas negociações, a Argélia é guiada pela preocupação de ajudar na busca de uma solução política sustentável e inclusiva para a crise no Mali e permitir que este país embarque na via do desenvolvimento e garanta a sua integridade territorial.
A terceira ronda de discussões realizada desde 20 de Outubro último, reflete a vontade dos malianos de encontrar entre si, sem restrições, as soluções para os seus próprios problemas.

pas d'image

Quanto à Líbia, que viu um drama nacional sem precedentes, foi abandonada a si própria depois de uma operação militar que produziu como danos colaterais uma proliferação de armas e de facções de várias obediências.
A tragédia da Líbia, que poderia ter sido evitada se a União Africana não tivesse sido impedida de concluir a sua mediação, deve ser resolvida pelo diálogo político.
Neste contexto, a Argélia está a promover um diálogo político inclusivo entre todas as partes do drama da Líbia e está disponível para mediar negociações dentro ou fora da Argélia.
A amplitude e a violência que caracterizam a situação na Líbia precisam, em primeiro lugar, um diálogo político interno, mas também empenho e voluntarismo apoiados pela comunidade internacional para permitir encontrar uma saída favorável.
A este respeito, o apoio às instituições legais líbias é necessário e mesmo fundamental.
Com uma nota mais optimista, a situação na Tunísia conhece desenvolvimentos encorajadores que refletem a vontade do povo tunisino de fechar o parênteses da transição e a consolidação do processo democrático. As eleições legislativas, que acabam de ter lugar com sucesso, testemunham este espírito. A Argélia tem acompanhado a Tunísia neste difícil momento através do seu apoio político e financeiro e continuará a expressar a sua solidariedade.
No plano continental, a Argélia saudou a nomeação de Sua Excelência Senhor Joaquim Chissano, antigo presidente da República de Moçambique, na qualidade de Enviado Especial da União Africana para o Sahara Ocidental e expressou o desejo de que a sua experiência política e sucessos em mediações, contribuam para fazer avançar esta questão e permitam a implementação das resoluções das Nações Unidas e a organização do referendo sobre a autodeterminação do povo saharaui.
pas d'image Excelências...
A Argélia felicita-se pela qualidade e exemplaridade das suas relações com Moçambique. Esta celebração, ao coincidir com o quinquagésimo aniversário da revolução moçambicana, é duplamente significativa na medida em que evoca o caminho percorrido pelos dois povos no domínio do desenvolvimento.
Moçambique acabou de organizar, em condições pacíficas, as suas eleições gerais, demonstrando a sua vontade de fortalecer as instituições democráticas do seu país.
A cooperação entre a Argélia e Moçambique continua a desenvolver-se com a esperança de chegar a um ponto que responda à qualidade das relações de alto nível entre os dois países e povos.
A convergência de pontos de vista sobre as principais questões regionais e internacionais é mais um sinal da natureza das relações privilegiadas entre os dois países.
Recentemente, empresas argelinas licitaram para a exploração de jazigos de hidrocarbonetos no norte do país, com a expectativa de serem escolhidas e de poderem contribuir para a emergência da cooperação entre os países africanos nos domínios da alta tecnologia.
A finalizar, tenho a honra de convidar todos os presentes a um brinde:
Ao reforço das relações de amizade e cooperação entre a República da Argélia e a República de Moçambique!
À saúde de Sua Excelência Armando Emílio Guebuza, Presidente da República de Moçambique!
À saúde de Sua Excelência Abdelaziz Bouteflika, Presidente da República da Argélia!
E à saúde de todos os presentes!
Muito obrigado!

FOTOS DO EVENTO